.

Audiência Pública para debater o Trânsito

19 de out de 2011

 A Câmara Municipal de Vereadores de Canguçu realizou audiência pública na tarde de terça-feira (18) para debater a situação do trânsito no município. Estiveram presentes representantes de diversas entidades como APAE, CFC Canguçu, OAB, Polícia Civil, Brigada Militar (BM), partidos políticos, proprietários de empresas de ônibus, além dos secretários de Obras, Roni Diogo, e de Educação, Andrio Aguiar, do diretor de Trânsito do Município, Dirceu Hudson Valente e do Prefeito Cássio Mota. A Audiência foi um pedido dos vereadores Wendel Vilela (PTB) e Joaquim Paulo (PP).
O Vereador Joaquim Paulo, o Papança, reconheceu o trabalho em buscar as melhorias que podem ainda acontecer. Segundo ele soluções para a falta de estacionamento precisam ser vistas, já que ocorreu aumento significativo na frota de veículos no município. Papança também lembrou a questão dos carros de som, que andam devagar formando longas filas nas vias.
Wendel Vilela, um dos proponentes da audiência, lamentou que mais pessoas não se fizeram presentes, mesmo com vários convites enviados e divulgação em emissoras de rádio, já que o momento era propício para sugestões e melhorias. “Como usuário do trânsito acredito que ficou melhor. Mas é possível melhorar ainda alguns pontos”.
Gérson Nunes (PT) enumerou uma série de problemas nas ruas do município que passaram a ter um sentido de mão única. Para ele as Ruas General Osório, Osvaldo Aranha, Conselheiro Brusque, que passaram a ter um único sentido, além da Hipólito Ribeiro, precisam ter um novo estudo. Ele também lembrou a Rua Dom Otaviano subindo para a Osório onde somente duas ruas tem este sentido, após a rodoviária. Nunes também lembrou que pedestres encontram dificuldades ao atravessar na sinaleira da Osório e de plantas que atrapalham a visão dos motoristas no calçadão.
O Vereador Ubiratan Rodrigues (PP) comentou que o trânsito é um dos temas mais debatidos nas rádios e rodas de conversa. “A Coisa mais sensata foi chamar um engenheiro, a população diz que melhorou muito”, disse. Para ele é preciso também pensar nos pedestres, que são muitos e na mobilidade urbana, tirando algumas placas que são colocadas por comerciantes nas calçadas, que são pequenas, lixeiras, postes de luz, entre outros pontos que dificultam a vida dos pedestres.
César Madrid (PP), líder do governo, disse que tudo que foi feito é para tentar melhorar o trânsito no município. Fez o pedido para que a Rua Silva Tavares passe a ter sentido de mão única do Pronto Atendimento até o Posto Amarelinho, no cruzamento com a Osvaldo Aranha. Madrid também lembrou que a população tem que ajudar procurando obedecer os limites e leis de trânsito. Madrid também perguntou os critérios de utilização para placas de carga e descarga. “Em outros municípios me parece que este processo não é em horário comercial, como é em Canguçu”, disse.
O Vereador do PSDB, Zilmar Rosa, fez referência ao trânsito na rua Conselheiro Brusque, em frente a Rodoviária. No local após as mudanças o fluxo de carros que precisam ir a Rua General Osório aumentou, dificultando a saída dos ônibus. Zilmar pediu que na Rua General Câmara, nos fundos do sindicato dos trabalhadores rurais, volte a ser mão dupla, isso evitaria tanto movimento junto à rodoviária.
Representando a Brigada Militar (BM) o tenente Luiz Gonzaga fez referencia a acessibilidade, dizendo que é preciso que seja criado um espaço em que todos transitem com segurança, lembrando os “3 Es”: Engenharia, Educação e Esforço Legal. Este último a parte da BM. Gonzaga lembrou que em 2010, em parceria com a secretaria de Educação, foram feitas diversas palestras nas escolas passando informações sobre o trânsito. Ele também comentou sobre uma reclamação comum no município sobre o som alto. Para que sejam punidos, os responsáveis precisam que seja constatado no memento da chegada da BM o som, o que é difícil já que ao avistar um carro da polícia logo desligam o rádio. Outro ponto importante em relação as declarações do tenente, foi que os Canguçuenses não são afeitos a respeitar regras.
O Representante da OAB, advogado Adriano Telesca Mota, reforçou o pedido do vereador Zilmar Rosa sobre mudanças próximo a rodoviária e sugeriu que fosse feita sinalização próximo ao fórum onde, nos finais de semana, acontecem muitos acidentes por ser uma descida íngreme. Falando em nome do PMDB, o presidente do partido Jarbas Borges, pediu que a esquina das Ruas General Osório e Genes Bento tenha especial atenção, pois, no local não há boa sinalização e os motoristas ficam confusos sobre quem deve ingressas primeiro na Rua General Osório, sugeriu a construção de uma rótula. Já o representante das empresas de ônibus, o senhor "Nato", disse que realmente o trânsito próximo a rovodiária está prejudicando o trabalho deles. "Carro não devia passar naquela rua. Todo dia tem um acidente entre ônibus e carro ali", falou.
Aline Nunes, representando a Polícia Civil, comentou que muitos pais estão emprestando carros para filhos sem habilitação e que tem gerado muitos problemas aos finais de semana. “Eles pegam os carros e como não conhecem as leis de transito acabam cometendo infrações”, revela. Como usuária do trânsito, ela pediu que fosse criado algum modelo que deixasse mais ágil o estacionamento na área central da cidade. “Muitos comerciantes já estão perdendo vendas porque as pessoas não querem ir até o centro por falta de estacionamento”, disse.
Regina Porto, pediu mais atenção para as pessoas que tem dificuldade de locomoção no município. Rosangela Munsenberg pediu que fossem colocadas mais rampas de acesso para cadeirantes e uma melhor formulação no acesso ao estacionamento em frente aos bancos.
Representando o CFC Canguçu o Senhor Moises pediu que o departamento de trânsito coloque placas com a velocidade permitida na Rua General Osório. Segundo ele nenhum local tem placas em Canguçu sobre a velocidade máxima permitida. Comentou também sobre as faixas de pedestre que foram mal projetadas deixando os carros parados no meio das vias ou fazendo que os motoristas parem em cima da faixa para que tenham visão do trânsito.
Ricardo Moura pediu que fosse estudada a retirada dos canteiros da Rua General Osório no acesso a cidade já que vários acidentes aconteceram nestes pontos. Ele também pediu informações sobre o estacionamento junto ao monumento ao colono, que não tem nenhuma sinalização. A Professora Arlete Vargas pediu mudanças junto a rua Franklin Maximo Moreira, próximo a loja quero-quero onde sempre estão estacionados carros e caminhões deixando um trânsito difícil no local.
Fotos: Augusto Pinz
Por parte da administração municipal o Prefeito Cássio Mota se comprometeu a anotar todos os pedidos e levar para uma análise do engenheiro que fez as mudanças do trânsito em Canguçu. “Hoje estamos aqui mais para ouvir que para falar”, disse. O Responsável pelo trânsito, Dirceu Hudson, disse que algumas mudanças já serão feitas e que o encontro foi produtivo.

0 comentários:

 
Câmara Municipal de Canguçu © 2013 | Designed by Interline Cruises, usando a plataforma Blogger.